São Paulo Crystal vai sugerir que o Paraibano seja disputado por pontos corridos já a partir de 2020

Diretor executivo do clube, Eduardo Araújo quer um estadual de pontos corridos, com 18 datas

Se depender do São Paulo Crystal, o Campeonato Paraibano de 2020 terá uma nova fórmula de disputa. O diretor executivo do clube, Eduardo Araújo, já estuda mudanças para o estadual e vai propor colocá-las em prática já no próximo ano. A proposta do Tricolor será apresentada no Conselho Arbitral, que será na Federação Paraibana de Futebol (FPF), no dia 29 deste mês. O dirigente quer esticar o estadual para 18 rodadas, com a disputada sendo realizada através de pontos corridos.

Na atual fórmula de disputa - que foi usada nesta temporada -, o Campeonato Paraibano conta com 10 participantes, que são divididos em dois grupos, com cinco equipes cada. Na primeira fase, os times de de chave enfrentam os da outra em confrontos de ida e volta. Os dois primeiros de cada grupo avançam para as disputas das semifinais e da final, também em jogos de ida e volta.

Eduardo Araújo, diretor técnico do São Paulo Crystal — Foto: Reprodução / TV Cabo Branco

A atual proposta do São Paulo Crystal prevê as equipes se enfrentando todas contra todas, num sistema de pontos corridos, sem divisão de grupos, também em confrontos de ida e volta. Nesse caso, o título de campeão seria dado ao primeiro colocado geral.

No entanto, segundo o Estatuto do Torcedor, essas mudanças só poderiam ser postas em prática em 2021, uma vez que o regulamento tem que ser mantido por pelo menos dois anos. Porém, o diretor executivo do time de Cruz do Espírito Santo, Eduardo Araújo, discorda dessa interpretação e garante que as alterações propostas estão dentro da legalidade já para 2020.

- O Estatuto do Torcedor, em seu art. 9º, parágrafo 5º, estabelece a impossibilidade de alterar o regulamento após a sua divulgação definitiva, o que se dá em até 45 dias antes do início da competição, ou seja, sequer foi publicado (o regulamento de 2020) porque não houve arbitral ainda, inexistindo impedimento à alteração daquilo que não foi publicado. Ainda que se entenda a limitação de dois anos, existe a exceção da modificação do calendário anual, como foi realizado pela CBF.

Veja o que diz o art. 9º, parágrafo 5º, do Estatuto do Torcedor:

"É vedado proceder alterações no regulamento da competição desde sua divulgação definitiva, salvo nas hipóteses de:
I - apresentação de novo calendário anual de eventos oficiais para o ano subseqüente, desde que aprovado pelo Conselho Nacional do Esporte – CNE;

II - após dois anos de vigência do mesmo regulamento, observado o procedimento de que trata este artigo".

Eduardo Araújo ainda explicou que, apesar de o estadual não poder se estender além de 26 de abril (data limite estabelecida pela CBF), é possível iniciá-lo antes do dia 22 de janeiro (data também determinada pela entidade máxima do futebol brasileiro). A única condição para iniciar o Paraibano antes disso é que os clubes possam conceder aos seus jogadores 30 dias de férias e 30 dias de pré-temporada, como determina a lei. E é justamente a possibilidade de antecipar o início do Paraibano que faz o dirigente tricolor acreditar que é possível que a competição tenham 18 datas, duas a mais do que prevê a CBF.

- Dá para colocar totalmente em prática. Eu sou a favor do que está na lei. No meu entendimento, não há nenhum empecilho para a mudança. Como não há qualquer equipe participando das séries A ou B, não tem limitação de datas anteriores a 22 de janeiro, afinal, todos os times paraibanos já estão com as atividades encerradas - ponderou Eduardo Araújo.

Outra questão defendida pelo dirigente tricolor é que o Campeonato Paraibano continue tendo dois rebaixados (com dois subindo da 2ª divisão) e que permaneça sendo disputada por 10 clubes nos próximos anos. Essa ideia vai de encontro à proposta que o presidente do Botafogo-PB, Sérgio Meira, já adiantou que vai apresentar no Conselho Arbitral. O mandatário botafoguense quer que três times sejam rebaixados já em 2020 e que apenas um suba da 2ª divisão para a elite, acarretando uma 1ª divisão com apenas oito clubes a partir de 2021.

Plano B do Tricolor

O diretor executivo do São Paulo Crystal vê o formato de pontos corridos como ideal para o Campeonato Paraibano já a partir de 2020, mas, antevendo que esse modelo não seja aprovado no Conselho Arbitral, ele já tem uma alternativa. Caso a sua proposta inicial não seja aceita, ele cogita sugerir que, passada essa fase inicial onde todos os times enfrentariam todos em jogos de ida e volta (o que totalizaria 18 datas), os dois primeiros colocados façam uma final, também em dois jogos (totalizando 20 datas). Assim, o Paraibano precisaria de quatro datas anteriores a 22 de janeiro.

O que se sabe, por enquanto, é que as definições sobre os moldes do estadual de 2020 na Paraíba só começarão a ser definidos no dia 29 de outubro, data marcada para o primeiro encontro entre representantes da Federação Paraibana de Futebol (FPF) e dos 10 clubes participantes da competição.

globoesporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.