Testemunhas de defesa são ouvidas em nova audiência da Operação Cartola

Audiência aconteceu nesta quinta-feira na 4ª Vara Criminal da capital João Pessoa e foi marcada pela ausência do ex-presidente de futebol do Botafogo-PB, Breno Morais, que foi intimado

O juiz José Guedes Cavalcanti Neto, da 4ª Vara Criminal de João Pessoa, presidiu nesta quinta-feira mais uma sessão de audiências com os envolvidos na Operação Cartola, realizada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Polícia Civil, que desarticulou um esquema de manipulação de resultados na disputa do Campeonato Paraibano, especificamente na edição de 2018 da competição.

Na audiência desta tarde, foram ouvidas as testemunhas de defesa de vários dos acusados de integrar o esquema de corrupção. Nesse núcleo estão envolvidos o ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, o ex-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Paraíba (TJDF-PB), Lionaldo Santos, e o ex-presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, José Renato Soares, além de ex-árbitros como Éder Caxias e Antônio Umbelino.

Breno Morais e nem seu representante compareceram à audiência desta quinta-feira — Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com

No termo de audiência, divulgado após o fim dos trabalhos, a autoridade judicial registrou ainda a ausência do ex-vice presidente de futebol do Botafogo-PB, Breno Morais, que apesar de ter sido intimado, acabou não comparecendo, nem seu advogado, sendo representado por uma defensora pública.

No total, foram ouvidas quatro testemunhas e o juiz determinou a realização de uma nova audiência, dessa vez com a coleta de depoimento dos réus, no próximo dia 7 de novembro, às 14h.

Relembre o caso

A Operação Cartola foi desencadeada pouco depois da final do Campeonato Paraibano de 2018 e escancarou a formação de um grupo, contendo dirigentes de clubes, dirigentes da Federação Paraibana, do TJDF e árbitros locais e também de outros estados, que manipulava resultados de jogos na competição estadual.

No total, o Ministério Público apresentou denúncia contra 27 pessoas e algumas delas chegaram a ser presas e também afastadas, temporária ou definitivamente, das atividades relacionadas ao futebol profissional. Até agora, nenhuma sentença definitiva foi expedida e os processos seguem tramitando na justiça desportiva e também na justiça comum.

Audiência da Operação Cartola aconteceu na 4ª Vara Cível da capital — Foto: Reprodução

Fonte: globoesporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.