Sérgio Meira dá respaldo a Piza e fala em time magoado com a torcida do Botafogo-PB

Presidente do clube reiterou respeito pela imprensa e pela torcida, falou que a diretoria estuda promoções de ingressos e ainda explicou saída de preparador de goleiros

O presidente do Botafogo-PB, Sérgio Meira, enfim falou pelo clube, nesta quarta-feira, após as polêmicas que envolveram o time pessoense nas últimas semanas. O dirigente falou de diversos assuntos. Respondeu aos jornalistas e tentou amenizar algumas questões. O mandatário botafoguense aproveitou a oportunidade para dar publicamente respaldo ao técnico Evaristo Piza, pressionado por conta dos últimos maus resultados.

Sérgio Meira amenizou algumas polêmicas e deu respaldo ao técnico Evaristo Piza — Foto: Nádya Araújo / Botafogo-PB

Segundo o dirigente, já houve uma conversa da diretoria com a comissão técnica para avaliar a situação da equipe na competição. Ainda dentro do G-4 do Grupo A da Série C, o Belo não vence há três jogos. Sérgio Meira descartou que haja problema de algum jogador com o técnico e ainda revelou que Evaristo Piza é uma convicção da diretoria. De acordo com o presidente do Botafogo-PB, mesmo se o time não vencer o Santa Cruz, o técnico está mantido.

- Ele está mantido no cargo. Evaristo é um treinador que a gente espera que esteja conosco no ano que vem. Nos reunimos com ele, e ele disse que não há problema nenhum interno, entre técnico e elenco. Mas a torcida, a imprensa e a nós mesmos quando o Botafogo-PB não ganha, ficamos insatisfeitos. A resposta o time vai dar em campo contra o Santa Cruz. Ele fica (mesmo que o time perca para o Santa) - explicou o presidente.

Grupo do Botafogo-PB saiu vaiado após derrota em casa, de virada, para o Sampaio no último fim de semana — Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com

Já sobre a relação um tanto quanto estremecida entre elenco e torcida, Sérgio Meira revelou que o time ficou incomodado com as vaias no último jogo. Não pela derrota. Mas a equipe, segundo o dirigente, não digeriu bem as críticas dos torcedores que foram ao Almeidão na derrota do Botafogo-PB para o Sampaio Corrêa, no último sábado, na saída dos atletas do campo para os vestiários no intervalo da partida.

- Eles estão muito tristes com a torcida pelo fato de o cara ser vaiado estando em terceiro lugar no grupo. Realmente, isso maltrata o cara. Não é todo jogo que vai ser 100%, vai ser vitória. Aquele resultado estava bom (o empate em 1 a 1 com o Sampaio no intervalo), estávamos em terceiro da chave, mas a gente não entende. A torcida chegou a gritar olé contra o Botafogo-PB. Eles são seres humanos iguais a todos nós - comentou o dirigente.

A entrevista coletiva serviu para o dirigente também tratar de outros assuntos, como a entrevista dada pelo seu companheiro de diretoria, o vice-presidente social do clube, Antônio Navarro, em que criticou a pouca presença de público na temporada. Além disso, Sérgio Meira falou também sobre o episódio envolvendo o goleiro Saulo e o comentarista do Portal Voz da Torcida, Adriano Almeida, que foi intimidado e xingado pelo goleiro próximo ao vestiário, quando Evaristo Piza concedia entrevista coletiva.

Confira os principais trechos da entrevista:

DECLARAÇÕES DE ANTÔNIO NAVARRO

Eu não estava aqui, mas me mandaram os áudios. Da forma como eu ouvi, ele estava citando que Ivan Bezerra dizia que os torcedores eram espectadores. Pegaram aquele trecho e falaram que tinha acontecido isso, que ele tinha chamado a torcida de "xoxôla", mas acho que não tem nada a ver. Navarro é um cara que sempre participou de torcidas organizadas, contribui com o Botafogo-PB há muito tempo, bem antes da minha chegada aqui. Só podemos elogiar o trabalho que ele tem feito no clube, inclusive já se dirigiu às redes sociais se desculpando, que não era aquilo que ele queria dizer. Acho que é uma coisa que temos que apagar, passou, ele é um cara consciente do que fez e inclusive torcedores se posicionaram a favor dele, dizendo que não foi isso que ele disse.

XINGAMENTO DE SAULO A REPÓRTER

A diretoria não concorda com esse tipo de confronto com o torcedor ou imprensa. Sabemos que é muito complicado, pois quando você mexe com um torcedor, mexe com todos e tem que ser assim mesmo, afinal todo mundo precisa estar unido para torcer. Nós sabemos que Saulo é um grande profissional, dá o sangue pelo clube e vocês que acompanham, percebem que quando ele está em campo, saia de perto, pois ele está ali para jogar. Exigimos o respeito dele para com os torcedores, com a imprensa, como também exigimos o respeito da imprensa para com ele. Independente de qualquer coisa, o Botafogo-PB não aprova o confronto com o torcedor ou com a imprensa. Já conversamos com ele e está tranquilo.

Goleiro Saulo se envolveu em mais uma polêmica fora de campo — Foto: Pedro Alves / GloboEsporte.com

SAÍDA DO PREPARADOR DE GOLEIROS ALEX LIMA

Alex é um profissional excelente e fez muitas amizades aqui, além de um trabalho excepcional com os goleiros. Mas, chegou um ponto que houve dificuldades de relacionamento entre comissão técnica, diretoria e ele. Ele estava aqui (em João Pessoa) sozinho, a família está em outro estado e vocês sabem que isso influencia. Não foi nada de absurdo o que aconteceu. Foi uma decisão administrativa do clube, ele entendeu, aceitou e eu acredito que ele também tinha essa vontade. Fizemos um acordo, já temos um novo preparador que está trabalhando e está tudo tranquilo, sem nenhum problema maior.

RELAÇÃO COM A TORCIDA

Sempre cobramos da torcida, pois sabemos do potencial. Muita gente fala em fazer promoção para encher o estádio, nós já fizemos em outras vezes e o clube vê que são sempre aqueles torcedores fiéis que estão lá. Quando tem um jogo grande é evidente que vem muita gente assistir, isso não é só aqui na Paraíba, mas em todo lugar. Inclusive, pretendemos futuramente fazer uma promoção para atender os pedidos da imprensa e da torcida, mas estamos vendo como isso se comporta. Respeitamos muito o torcedor, afinal ele é quem garante a nossa existência.

TURBULÊNCIA x ACESSO À SÉRIE B

É natural e estamos sempre esperando essa turbulência. Eu acredito que o administrador tem que saber que não vai ser sempre vitória, resultado positivo. Vai haver dificuldade com derrota, relacionamento de grupo, por exemplo. Temos experiência com gestão de pessoas, mas estamos unidos, tanto os que aparecem, como os que estão nos bastidores. Temos que enfrentar esse momento. Acho que nós, a diretoria do Botafogo-PB, criamos uma crise com a imprensa, com a torcida, e nós estamos no G-4. Agora acendeu um sinal de alerta, mas vamos para frente.

Fonte:globoesporte

Publicidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.