Investigador na Operação Cartola, Lucas Sá é arrolado como testemunha, mas falta audiência

Delegado licenciado da Polícia Civil seria ouvido nessa quarta-feira, mas não compareceu

O processo que envolve 17 réus suspeitos de crimes de corrupção no futebol paraibano teve mais uma fase importante nessa quarta-feira. É que começaram a ser colhidos depoimentos de testemunhas de defesa, que foram ouvidas pelo juiz José Guedes Cavalcanti no Fórum Criminal de João Pessoa. Dezenas de testemunhas estavam sendo esperadas, mas muitas faltaram. Uma que não compareceu foi o delegado licenciado da Polícia Civil, Lucas Sá, um dos investigadores da Operação Cartola.

Lucas Sá foi quem comandou a Operação Cartola na Polícia Civil na Paraíba — Foto: Reprodução / TV Cabo Branco

Lucas Sá foi arrolado como testemunha de defesa de Lionaldo Santos, ex-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), que faz a sua própria defesa nesse processo. Essa ação, aliás, é a que envolve o maior número de réus. O processo é decorrente das investigações realizadas pela Polícia Civil e pelo Ministério Público (MP) que apurou supostos crimes de corrupção no futebol paraibano.

São 17 réus neste processo, dentre eles, ex-dirigente de clubes, da Federação Paraibana de Futebol (FPF), ex-árbitros e ex-membros do TJDF. Eles respondem por crime de organização criminosa. Segundo a Polícia Civil e MP, todos faziam parte de um suposto esquema de manipulação de resultados no futebol paraibano.

Audiência de instrução foi no Fórum Criminal de João Pessoa — Foto: Divulgação

Na audiência dessa quarta feira foram ouvidos como testemunhas de defesa os jornalistas Marcos Lima e Tiago Loureiro, o advogado Marcos Túlio e o ex-auditor do TJDF-PB Francisco Serpa. Após os depoimentos, o juiz determinou que a próxima audiência de instrução será no dia 25 de julho para que outras testemunhas de defesa sejam ouvidas. Lucas Sá é esperado novamente.

Medidas cautelares revogadas

Antes do fim da audiência de instrução, os 17 réus no processo tiveram uma boa notícia. Após pedidos das defesas, o juiz José Guedes Cavalcanti revogou algumas medidas cautelares dos réus.

Agora, os acusados não precisam mais, por exemplo, ter que comparecer ao menos uma vez na comarca nem pedir autorização para viagens. A única medida cautelar que foi mantida pelo juízo foi em relação à presença dos réus em ambientes desportivos. Todos seguem proibidos de frequentar instituições esportivas, clubes e partidas de futebol.

Confira quem são os os réus do processo:

1. Amadeu Rodrigues (ex-presidente da FPF)

2. Breno Morais (ex-vice-presidente de Futebol do Botafogo-PB)

3. Lionaldo dos Santos Silva (ex-presidente do TJDF-PB)

4. Marinaldo Roberto de Barros (ex-procurador do TJDF-PB)

5. José Renato Soares (ex-presidente da Ceaf-PB)

6. Severino José de Lemos (ex-membro da Ceaf-PB)

7. Genildo Januário da Silva (ex-vice-presidente do Sindicato de Árbitros da Paraíba)

8. Adeilson Carmo Sales de Souza (ex-árbitro do quadro local)

9. Antonio Carlos da Rocha (ex-árbitro do quadro local)

10. Antonio Umbelino (ex-árbitro do quadro local)

11. Eder Caxias (ex-árbitro da CBF)

12. Francisco Santiago (ex-árbitro do quadro local)

13. João Bosco Sátiro (ex-árbitro da CBF)

14. José Maria de Lucena Netto (ex-árbitro assistente da CBF)

15. Tarcisio José de Souza (ex-árbitro assistente do quadro local)

16. Josiel Ferreira da Silva (ex-árbitro assistente do quadro local)

17. José Araújo da Penha (ex-funcionário da FPF)

Fonte: globoesporte

Publicidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.