Após 11 jogos, Botafogo-PB consegue ficar uma partida sem sofrer pelo menos um gol

Confronto com o Ferroviário nesse domingo foi o primeiro jogo da Série C em que o time paraibano não foi vazado. Equipe vinha sofrendo gols há 11 jogos seguidos

O empate em 0 a 0 com o Ferroviário nesse domingo não foi de todo ruim para o Botafogo-PB. Se por um lado, a equipe não foi eficiente lá na frente, o time se saiu bem defensivamente, como há muito tempo não ocorria na temporada. Esse, aliás, foi o primeiro jogo desta Série C do Brasileiro em que o time conseguiu não ser vazado.

A sequência de partidas em que o goleiro Saulo tinha que ir buscar pelo menos uma bola na rede era grande e já se tornava incômoda. E o arqueiro era o menor culpado pelo retrospecto. O jogo de volta da final do Campeonato Paraibano, diante do Campinense, no dia 20 de abril, foi o último em que o Belo conseguiu suportar 90 minutos - mais acréscimos - sem tomar gol. Naquele dia, o time pessoense conquistava o tricampeonato estadual ao bater a Raposa por 2 a 0.

Willian Goiano à caça do atacante Edson Cariús, um dos artilheiros da Série C, com 7 gols — Foto: Kid Jr. / Diário do Nordeste

De lá para cá foram 11 partidas sendo vazado. Contando a semifinal e as finais da Copa do Nordeste, e as oito rodadas disputadas pelo Botafogo-PB até aqui pela Série C do Campeonato Brasileira. Muitos jogos e muitas mudanças. O zagueiro que mais esteve presente em campo nesse período virou reserva. Lula disputou 8 dos 11 jogos. Um a mais do que Donato, que começou jogando em 7 oportunidades.

Após a falta de evolução do sistema defensivo, Evaristo Piza interviu. E mudou o miolo de zaga. Primeiro, Fred, contratado para as disputas da Terceirona, ganhou o seu espaço, sobretudo após conseguir ficar 100% fisicamente. Depois, o técnico deu um nova chance a Willian Goiano, que havia perdido espaço desde os jogos contra o Londrina pela Copa do Brasil. Eles agora formam a dupla de zagueiros do time titular.

Outra mudança importante foi no meio-campo. Com a lesão de Marcos Aurélio, o meia Marcos Vinícius passou a ser utilizado mais à frente. Com isso, em muitos jogos, foi Wellington Cézar quem jogou no lado de Rogério, formando a dupla de volantes. Apesar de, dessa forma, a característica do meio-campo ser mais defensiva, na prática não deu certo.

Com o retorno de Marcos Vinícius para jogar mais de trás, próximo a Rogério, no jogo contra o Imperatriz, pela Série C, o meia voltou a render mais. Nessa formatação, o Botafogo-PB passa a ter mais a posse de bola nos jogos, o que dá menos chances do adversário atacar. Embora tenha um perfil muito mais ofensivo, Marcos Vinícius vem cumprindo bem o papel de fechar espaços quando a equipe não tem a bola.

Após ter conseguido passar um jogo sem levar gol nesta Série C, o Botafogo-PB espera somar isso a uma vitória. A nova chance será nesta quarta-feira, quando o Belo encara o Náutico em jogo ainda da oitava rodada da competição. O duelo contra o Timbu havia sido adiado por conta de fortes chuvas que caíram em Recife. A partida começa às 19h e acontece no Estádio dos Aflitos.

Fonte: globoesporte

Publicidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.