Análise: Botafogo-PB chega a 5 jogos sem vencer, se distancia do G-4, e Piza vive primeira pressão

Clube é o atual sexto colocado do Grupo A da Série C, com 18 pontos

Por quase todo o tempo, nesse pouco mais de um ano à frente do Botafogo-PB, o técnico paulista Evaristo Piza viveu uma lua de mel com a torcida botafoguense. Agora, são cinco jogos sem o clube saber o sabor de vitória na Série C do Campeonato Brasileiro. O olhar para o G-4 já é cada vez mais forçando a vista para poder enxergar os times que lá estão. Um sexto lugar inesperado, para quem fez um ótimo primeiro semestre, com o tricampeonato estadual e o vice-campeonato do Nordeste. Restam cinco jogos na Terceirona para o Botafogo-PB cravar uma grande reação na tabela ou uma decepção no coração do torcedor.

A última vitória do Belo na Série C foi empolgante para a torcida. Um 4 a 2 sobre o Treze, um dos seus maiores rivais, em João Pessoa, na nona rodada da competição. Nesta quarta-feira, véspera de mais um jogo do clube, diante do Imperatriz, o clube completará um mês sem saber o que é vencer no torneio.

Evaristo Piza já bateu a marca de um ano no clube — Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press

Nesse período, três empates - 0 a 0 com o Ferroviário, 1 a 1 com o Santa Cruz e 1 a 1 com o ABC - e duas derrotas - 2 a 1 para o Náutico e 2 a 1 para o Sampaio Corrêa. E, mais do que isso, um futebol irreconhecível se comparado ao apresentado pelo quase mesmo grupo - em tese, agora reforçado - que conquistou bem os objetivos do primeiro semestre. Com esse retrospecto recente, o time de Evaristo Piza, que figurou no G-4 em várias rodadas do turno, saiu desse seleto grupo no returno e agora tem quatro pontos de diferença para a zona de classificação.

Para se ter uma ideia da campanha atual do Botafogo-PB, é só olhar o aproveitamento do time na Série C. O Alvinegro conquistou menos da metade dos pontos que disputou até aqui. Mais precisamente 46,2% do que disputou. São quatro vitórias, seis empates e três derrotas até o momento na Série C.

Se pegarmos o aproveitamento de Piza desde que chegou ao clube, em junho do ano passado, para substituir o então técnico Leston Júnior, a diferença é grande. O técnico segue com uma boa performance quando a análise se estende à sua campanha inteira. Piza tem um aproveitamento de 64,8%, contando apenas jogos oficiais.

Tropeço em casa contra o ABC foi a quinta partida sem vencer seguida na Série C — Foto: Paulo Cavalcanti / Botafogo-PB

A grande diferença, se fizermos uma análise mais rápida dos times de Piza na Série C deste ano e na do ano passado, está na solidez defensiva. Nos onze jogos que o técnico fez à frente do clube em 2018, a equipe levou oito gols. Atualmente, já são 17 sofridos em 13 duelos disputados.

Esse desajuste lá atrás, que vem desde as retas finais da Copa do Nordeste e do Paraibano, somado a um recente futebol mal jogado com a bola vem criando o primeiro clima hostil ao treinador. O técnico já saiu vaiado de alguns jogos e é um dos mais perseguidos pela torcida nas redes sociais.

A bronca ficou maior após mais um tropeço em casa, dessa vez no último sábado, para o ABC. Piza jogou cerca de 60 minutos com dois volantes de contenção, que quando se apresentavam para o jogo não davam sequência a boas tramas ofensivas. Mudança, talvez, forçada por conta da ausência de Rogério e Marcos Vinícius, os donos da posição, que, ao lado de Saulo, foram barrados do time titular nos treinamentos e no jogo pelo comandante.

Desgaste entre torcida e elenco vem acontecendo também por conta do extracampo — Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com

Ao que parece, a ordem veio de cima. O fato é que os três, que, segundo o clube, ficaram até mais tarde do que o permitido no espaço gourmet do prédio em que moram, incomodando, assim, um morador que reclamou a um segurança do condomínio, nem para o banco de reservas foram no duelo diante do Alvinegro potiguar. Três titulares absolutos até aqui. Marcos Vinícius, contra o ABC, foi quem mais fez falta, já que o time apresentou pouco volume de jogo e quase nenhuma qualidade pelo meio.

A situação não chega a ser desesperadora. Mas, a rigor, o Botafogo-PB não depende mais dele para se classificar. Mesmo se ganhar todos os cinco jogos que ainda faltam, existem combinações de resultados que ainda colocam o Belo em quinto lugar ao final da primeira fase.
Algo bem improvável, é bem verdade, em caso de 100% de aproveitamento botafoguense a partir de agora. No entanto, o sinal amarelo está mais aceso do que nunca. Pressionado pelas arquibancadas, Piza parece ter respaldo da cúpula botafoguense, que segue garantindo que pretende ter o técnico, pelo menos, até o fim da competição.

A mudança de rota, para a realidade se transformar, precisa acontecer urgentemente. E os confrontos diretos por uma vaga no mata-mata do acesso são muitos. O time paraibano ainda encara Confiança e Náutico em casa e o Imperatriz fora. O Cavalo de Aço, aliás, é seu próximo desafio, nessa quinta-feira, às 20h, no Estádio Frei Epifânio. Mais uma oportunidade de o time que foi o vice da Copa do Nordeste mostrar que pode alcançar a tão almejada Série B.

Presidente do clube, Sérgio Meira vem dando declarações de respaldo ao técnico Evaristo Piza — Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com

Fonte: globoesporte

Publicidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.