Justiça marca julgamento inicial de dirigentes acusados de corrupção no futebol paraibano

Ex-presidente da FPF, do TJDF-PB, da Comissão de Arbitragem e do Botafogo-PB, além de ex-árbitros também investigados na Operação Cartola sentam nos bancos dos réus em maio

Foto: Divulgação / Daniela Lameira

Após pouco mais de nove meses desde que a Justiça acatou a primeira denúncia do Ministério Público, que acusou dirigentes e árbitros de integrarem um esquema criminoso que supostamente manipulou resultados no Campeonato Paraibano de Futebol do ano passado, o Tribunal de Justiça da Paraíba marcou o primeiro julgamento sobre o caso. A audiência será no dia 16 de maio, em João Pessoa.

Serão julgados em primeira instância os ex-presidentes da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), Lionaldo dos Santos Silva, e da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol da Paraíba (Ceaf-PB), José Renato Soares.

Breno Morais, ex-dirigente do Botafogo-PB, é apontado como um dos líderes do suposto esquema criminoso — Foto: Cisco Nobre / GloboEsporte.com

Além deles, sentam nos bancos dos réus desse primeiro processo decorrente da Operação Cartola, o ex-vice-presidente de futebol do Botafogo-PB, Breno Morais, o ex-procurador do TJDF-PB, Marinaldo Barros, e mais nove árbitros e bandeiras que atuavam no futebol do estado.

Todos eles foram banidos do futebol em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva no ano passado e são acusados pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, que encabeçaram as investigações da Operação Cartola, de integrarem um esquema que manipulou resultados no estadual de 2018.

José Renato negou todas as acusações, em entrevista ao Fantástico — Foto: Reprodução / TV Cabo Branco

Esse é apenas um dos processos do caso que foi escândalo no futebol paraibano no ano passado. Em mais duas ações que correm na Justiça, outros dirigentes de Botafogo-PB e Campinense, além do árbitro alagoano Francisco Carlos Nascimento, que já foi do quadro da Fifa, são réus por supostamente serem também agentes de manipulação de resultados no Paraibano do ano passado.

Réus do julgamento no dia 16 de maio:

1. Amadeu Rodrigues (ex-presidente da FPF)

2. Breno Morais (vice-presidente de Futebol do Botafogo-PB)

3. Lionaldo dos Santos Silva (ex-presidente do TJDF-PB)

4. Marinaldo Roberto de Barros (ex-procurador do TJDF-PB)

5. José Renato Soares (ex-presidente da Ceaf-PB)

6. Severino José de Lemos (ex-membro da Ceaf-PB)

7. Genildo Januário da Silva (ex-vice-presidente do Sindicato de Árbitros da Paraíba)

8. Adeilson Carmo Sales de Souza (ex-árbitro do quadro local)

9. Antonio Carlos da Rocha (ex-árbitro do quadro local)

10. Antonio Umbelino (ex-árbitro do quadro local)

11. Eder Caxias (ex-árbitro da CBF)

12. Francisco Santiago (ex-árbitro do quadro local)

13. João Bosco Sátiro (ex-árbitro da CBF)

14. José Maria de Lucena Netto (ex-árbitro assistente da CBF)

15. Tarcisio José de Souza (ex-árbitro assistente do quadro local)

16. Josiel Ferreira da Silva (ex-árbitro assistente do quadro local)

17. José Araújo da Penha (funcionário da FPF)

Fonte:globoesporte

Publicidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.