Lateral Jackinha deixa Tapajós para se reapresentar ao Campinense

Jogador deixa Santarém na manhã desta segunda-feira(26) e já está em Campina Grande. Ele desfalca o Tapajós em uma possível final e contrato com rubro-negro segue até dia 10

Jackinha foi um dos destaques do Tapajós na Segundinha paraense — Foto: Gustavo Campos/GloboEsporte.com

O lateral-esquerdo Jackinha, 27 anos, deixou na manhã desta segunda-feira (26) o Tapajós, de Santarém, no Pará, para viajar a Campina Grande, na Paraíba, onde se reapresenta ao Campinense. O jogador tem contrato com a Raposa até o próximo dia 10 de dezembro e inicia a pré-temporada com o clube, visando a primeira divisão do Campeonato Paraibano.

Natural de Santarém, Jackinha estava emprestado ao Tapajós e disputou a segunda divisão Paraense pelo Boto da Amazônia, conquistando o acesso à fase principal em 2019 e uma vaga na grande final da competição.

No entanto, denúncias de supostas irregularidades fizeram o Tribunal de Justiça Desportiva do Pará (TJD) suspender as finais da Segundinha paraense, entre Tapajós e São Francisco, até o julgamento dos casos. Com este adiamento, o lateral fica de fora dos jogos finais, já que a reapresentação do Campinense está marcada para a terça-feira (27).

Jackinha foi contratado pelo Campinense em 2017 e tem vínculo com o clube até o próximo dia 10, mas não sabe se fica na equipe paraibana ou se vestirá outra camisa na próxima temporada.

Além de Tapajós e Campinense, Jackinha acumula passagens por outros clubes, como o Clube do Remo, São Raimundo, São Francisco e Independente de Tucuruí, todos do Pará.

Saída de jogadores

As finais da segunda divisão do Campeonato Paraense estavam marcadas inicialmente para os dias 25/11 e 2/12, mas foram suspensas para o julgamento das denúncias da Desportiva e Tuna Luso sobre possíveis inscrições irregulares de jogadores do Paraense e do Tapajós, respectivamente. Os julgamentos ocorrerão nas próximas quarta (28) e sexta-feira (30).

Com a indefinição, o Tapajós corre o risco de perder mais jogadores além de Jackinha e ficar desfalcado para os jogos finais contra o São Francisco, caso estes sejam mantidos. O presidente do Boto, Sandeclei Monte, lamentou a situação e destacou o prejuízo da demora na realização das partidas.

-O Jackinha teve que se apresentar ao outro clube e já não estará nessa final. Essa é só uma das situações. O que queremos saber é quem vai bancar a despesa desses atrasos todos, por conta da não realização dos jogos – questionou o mandatário do Tapajós.

globoesporte.globo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.