Danny Morais, Ricardo Ernesto e Pipico ganham missão extracampo no Santa Cruz


Remanescentes e com rodagem no futebol, jogadores vão auxiliar técnico Leston Júnior com "nova geração coral"

Sob a perspectiva de formar um time jovem, na próxima temporada, o técnico Leston Júnior conta com a ajuda de alguns remanescentes do grupo de 2018. Com experiência no Arruda e rodagem no futebol, o goleiro Ricardo Ernesto, o zagueiro Danny Morais e o atacante Pipico são essenciais, para treinador, no trabalho de apresentação do clube às novas gerações - e aos novos contratados. Além de ver nos atletas, na questão técnica, uma referência forte de olho nas competições do primeiro semestre. Uma base forte, confiante.

Leston Júnior lembra que, este ano, o Santa Cruz iniciou a temporada sem uma base. Ao serem desclassificados da Série C, os tricolores se apressaram para segurar peças específicas – como o volante Eduardo e os meias Geovani e Jeremias -, consideradas importantes para o projeto. O próprio Pipico já manifestou vontade de ajudar, neste momento, o técnico mineiro.

Danny Morais é um dos mais experientes do elendo do Santa Cruz — Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press

- Esses atletas que ficaram, mais experientes, agregam muito valor. Vão somar bastante, principalmente neste primeiro momento. Recebendo quem está chegando, passando conhecimento. Eles sabem bem como é o torcedor. E é preciso mostrar como essa nação exige e apoia a equipe – afirmou Leston.

Na questão técnica e tática, Leston pondera sobre uma receita muito preconizada no futebol: a mistura de juventude e experiência como norte de trabalho. Sem se aprofundar na discussão, destaca que o sucesso incide em uma soma de fatores. Ainda assim, vibra com o material humano do Santa Cruz para iniciar os trabalhos, a partir do dia três de dezembro, quando está marcada a reapresentação tricolor.

Ricardo Ernesto encerrou a temporada como titular do Santa Cruz — Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

- Essa questão de mesclar vejo de forma mais complexa. Depende muito da característica de cada um, o perfil dos atletas, quem encaixa com quem. Quem tem característica de comando... Mas ter jogadores para começar os trabalhos é extremamente positivo. Pior do que começar do zero, como em 2018. E, se houve renovação com alguns jogadores, é porque eles atenderam às expectativas durante a temporada.

globoesporte.globo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.