Alexandre Cavalcanti descarta retorno imediato ao Botafogo-PB após ser absolvido pelo STJD


Ex-diretor jurídico do Belo foi acusado de participação no esquema de corrupção no futebol paraibano, investigado pela Operação Cartola, mas, por unanimidade, foi considerado inocente

Ex-diretor jurídico do Botafogo-PB, Alexandre Cavalcanti foi julgado e absolvido pelo Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta quarta-feira. O advogado havia sido acusado de instruir dirigentes da cúpula botafoguense para que adulterassem um Boletim de Ocorrência sobre a confusão na partida entre Belo e CSP, pelo Campeonato Paraibano deste ano. Por unanimidade, ele foi considerado inocente. Após a decisão do STJD, Alexandre falou com a reportagem do GloboEsporte.com e comentou a sua relação com o clube após esses episódios.

Ex-diretor jurídico do Botafogo-PB espera voltar ao clube, mas não imediatamente — Foto: Phelipe Caldas / GloboEsporte.com/pb

O advogado que exercia o cargo de diretor jurídico do Botafogo-PB até planeja voltar ao clube após ter a sua inocência comprovada. Mas não agora. Alexandre quer dar um tempo, talvez esperar a poeira baixar, mas pretende sair definitivamente do Belo, no futuro, de uma maneira menos tumultuada.

- Com relação a voltar a exercer a minha função no clube, entendo que não é o momento, mas espero voltar um dia, 
porque não quero deixar o clube da forma que deixei - 

comentou o advogado, através de mensagem de texto, direto do Rio de Janeiro, onde aconteceu o julgamento.

Alexandre Cavalcanti foi um dos alvos da Operação Cartola, liderada pela Polícia Civil e pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) do Ministério Público, que investigou um esquema de compra de árbitros e manipulação de resultados no futebol paraibano. A acusação que pesava sobre o advogado era a de ele ter dado instruções para que dirigentes do Botafogo-PB indicassem em um Boletim de Ocorrência os culpados por arremessar objetos em campo na partida entre Belo e CSP, pelo Campeonato Paraibano deste ano.

Alexandre Cavalcanti compareceu à sede do STJD na quarta-feira para acompanhar o julgamento — Foto: Arquivo pessoal

Por ser um dos denunciados durante as investigações, Alexandre foi afastado pela Justiça do seu cargo de diretor jurídico do Alvinegro da Estrela Vermelha. Mas, durante todo o tempo em que esperou o julgamento, manteve o mesmo discurso de estar consciente de não ter cometido qualquer crime. E foi esse mesmo pensamento que ele expressou agora, após ser absolvido.

- Eu sempre tive a minha consciência tranquila de que não cometi nenhum crime ou infração, que só agi no exercício regular da minha profissão.

Ao contrário do que aconteceu com Alexandre Cavalcanti, todos os outros dirigentes do Botafogo-PB julgados nesta quarta-feira foram punidos. O ex-vice-presidente de futebol, Breno Morais, foi quem sofreu a maior pena: ele foi banido do futebol e ainda condenado a pagar multa de R$ 90 mil. O ex-presidente Zezinho Botafogo, o ex-vice Guilherme Novinho e o ex-diretor executivo Francisco Sales foram todos punidos com suspensão de 540 dias e multas de R$ 30 mil cada.

globoesporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.