Dificuldade na escolha de novo técnico reduz tempo de treino e impacta na semana da Ponte


Macaca tem quatro sessões de treino até a partida de sábado, em Campinas, contra o CRB

Elenco da Macaca ainda espera a chegada de novo treinador — Foto: Carlos Velardi / EPTV

A decisão de demitir Marcelo Chamusca na quarta-feira passada era arquitetada em duas justificativas: a falta de resultados (oito jogos sem vencer, cinco sob o comando do técnico) e o tempo de trabalho até a rodada seguinte da Série B. Da derrota para o Brasil-RS, na terça, até o jogo deste sábado, contra o CRB, a Ponte Preta teria dez dias para trabalhar. Teria.

Pois a dificuldade na contratação de um novo treinador já custou metade desse tempo. Depois de sondar as situações de Jorginho e Mazola, que recusaram a abordagem pontepretana, a diretoria foi atrás de Gilson Kleina na sexta-feira. Passou todo o fim de semana em negociação e hoje, terça, espera apenas a chegada dele a Campinas para anunciá-lo de forma oficial.

Kleina pegou estrada de Curitiba até o interior de São Paulo no começo da manhã desta terça, e não na segunda à noite como informado anteriormente. Ele deve ir direto para o clube, onde assinará contrato até o fim da Série B e terá o primeiro contato com o elenco alvinegro.

Assim, o novo treinador terá apenas três dias inteiros para implantar sua filosofia e ideias na Macaca. O time tem quarta, quinta e sexta para preparação e joga já no sábado, às 19h, contra o CRB, em Campinas. Será a estreia de Kleina, logo diante da torcida e com um desafio grande.

Até a chegada do comandante, que vai para a terceira passagem pelo Moisés Lucarelli, o elenco foi dirigido por dois profissionais diferentes. O preparador físico Caio Gilli comandou os treinos na quinta e na sexta, enquanto João Paulo Sanches, agora auxiliar fixo da comissão técnica, assumiu as atividades de sábado e segunda (domingo os jogadores receberam folga).

– Tive a definição da diretoria na sexta, me reapresentei no sábado pela manhã. De quarta até sexta, foram dois treinos, mais de recuperação muscular e trabalho de potência. Entre sábado e hoje (segunda) tentamos trabalhar dentro de campo, focados na recuperação o mais rápido possível – disse Sanches, em entrevista no CT do Jardim Eulina.

João Paulo Sanches dirigiu a Macaca nas duas últimas sessões — Foto: Carlos Velardi / EPTV

A Ponte ocupa a 13ª colocação da Série B, com 37 pontos, seis acima do próprio CRB, que abre a zona de rebaixamento. Uma vitória no famoso "jogo de seis pontos" acalma o ambiente e segura um concorrente direto na degola, ao passo que mais um tropeço dificulta a situação. O tempo já não era dos mais longos. Agora, é ainda mais curto.

globoesporte

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.